segunda-feira, 24 de julho de 2017

Conheça mais sobre a ferramenta do Google para explorar a moda

Por dentro de "Marilyn" no Museo Salvatore Ferragamo
É com a proposta de “trazer 3.000 anos de moda para a plataforma do Google Arts and Culture” que a gigante da tecnologia lançou o We Wear Culture, um braço da iniciativa focado em facilitar a exploração da vestimenta, sua história e suas implicações culturais.

Tudo começou em 2010 com o engenheiro Amit Sood, nascido em Bombay, na Índia. Como parte do tempo livre oferecido pela empresa para que os funcionários pudessem explorar projetos pessoais, ele criou, através do Kickstarter, o Google Art Project. Sua ideia reunia esforços para digitalizar os museus ao redor do mundo, tornando artefatos culturais acessíveis para milhões de pessoas em todos os lugares.

Em 2008, o Scad Fash recebeu as primeiras doações de moda para os Museus do Scad, incluindo vários itens da editora da Vogue e ícone de estilo Anna Wintour
O projeto cresceu e se tornou o Google Cultural Institute, um projeto sem fins lucrativos que tem sede no Hôtel Particulier,  Paris. São mais de 1300 museus e fundações parceiras que colaboram com a digitalização de seus edifícios, arquivos e exposições.

Alguns dos objetos disponíveis na plataforma foram capturados com a Art Camera do Google, criando as imagens Gigapixel — que contém mais de um bilhão de pixels –, oferecendo visões extraordinárias de roupas que talvez nunca veríamos ao vivo.

Alunos do Scad Fash, em Atlanta, na Geórgia 
O We Wear Culture é baseado na premissa de que moda é cultura. “Nossos parceiros têm coleções enormes e muita sabedoria, mas normalmente tudo está guardado — seja fisicamente ou no cérebro do curador. Então, primeiramente, estamos abrindo o acesso a tudo isso — e realmente levando para as pessoas de uma forma que é facilmente compreensível e educativa, mas também divertida“, conta Kate Lauterbach, gerente de projetos do Google, ao Business of Fashion. #FonteELLE #FotosReprodução

terça-feira, 6 de junho de 2017

Os brigadeiros deliciosos e lindos de Stefan Behar



Há quatro anos, Stefan Behar, de 32 anos, largou a promissora carreira como executivo de marketing da grife de luxo Louis Vuitton, aqui no Brasil, para fazer brigadeiros. Hoje, é o novo queridinho da moda graças às suas sobremesas deliciosas com apresentação impecável.

Por um tempo, chegou a levar vida dupla: depois de dar expediente na grife, virava noites na cozinha preparando os chocolates, que vendia a amigos e conhecidos – eram mais de 1.200 docinhos por semana. Quando o negócio cresceu e precisou resolver que caminho seguiria, não teve dúvidas: jogou a vida de executivo para o alto e buscou a realização pessoal. #Vogue

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...